sexta-feira, 16 de março de 2018

Programa expositivo DINERO DINHEIRO por la itenerancia


Museo de la Universidad de Murcia
Del 9 de Mayo al 4 de junio de 2018





Museo de Archena
Del 8 junio al 25 de julio de 2018

Sala de exposiciones de la Facultad de Empresas de la UPCT, Cartagena
Del 14 de septiembre al 24 de octubre de 2018 (fechas provisionales).



Sala de Exposiciones de la Universidad Popular de Mazarrón
Del 25 de enero al 24 de febrero de 2019.





Anterior:


Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa
Del 28 de Outubro a 28 novembro de 2016.

sábado, 18 de março de 2017

DINHEIRO


  

Porque não entender o dinheiro como se fosse uma palavra-chave?
«Dinheiro» é um projeto artístico iniciado em 2015 que envolve um conjunto de artistas / professores de artes, maioritariamente universitários. Este projeto foi adquirindo vários corpos formais e conceptuais que se irão expor no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa a partir de 28 de Outubro de 2016.
A universalidade dos problemas, aparentemente individuais, com que todos nos deparamos, pode ser motivo para pensarmos o dinheiro com um lugar-comum da estrutura social que nos organiza. Mas um lugar-comum que nos transforma numa massa coletiva que, apesar de informe e frequentemente desconsiderada, se constitui de humanidades.
Somos uma entidade coletiva ordenada por sistemas convencionados e normativos mas apesar de tudo suscetíveis de outras adequações.
Assim, pensar no «Dinheiro» como um sistema, como uma «palavra-chave» ou como um «lugar-comum», foi o desafio assumido por artistas de várias áreas, entre elas o desenho, o design, a pintura, a escultura e a literatura. Pessoas com diferentes percursos, conceções e processos artísticos.
O objetivo é estabelecer confrontos visuais entre as diversas formas e soluções estéticas encontradas à volta deste assunto e expô-las, motivando interrogações e interpretações, aparentemente inconclusivas mas sempre enriquecedoras porque passíveis de proporcionarem muitas e diferentes sinergias.
Este projeto, onde o «Dinheiro» pode ser visto como um «lugar-comum» mas também como um conceito organizador, enraíza-se no princípio que a arte, como os demais ramos do conhecimento, não se estrutura em função do pensamento em volta si própria, mas em função de encruzilhadas, de incógnitas, quer materiais quer espirituais, que atravessam o ser e a sociedade sem que demos conta disso.
«Dinheiro» não foi estruturado em grupo. Trata-se de um conjunto de pessoas, de artistas, que desenvolveram processos investigativos criadores de obras, respostas pessoais, diferenciadas, alheadas dos preconceitos que caracterizam este meio estabelecedor de valor.
O dinheiro tem sido a justificação para todos os conflitos e para todas as alegrias. Corresponde a uma idade do Homem cuja origem reside nas trocas, no valor e no poder de uns sobre os outros. O dinheiro é líquido, sólido e simbólico. O dinheiro é matéria, forma e preconceito. O dinheiro dá forma às mais diversas organizações sociais e inter-relações humanas.
Mas se não existisse esta estrutura social, como seríamos geridos? Haverá outro sistema para além do dinheiro? Ou o dinheiro é intrínseco ao Homem contemporâneo?
Os artistas que se disponibilizaram para se debaterem com a palavra «dinheiro», como se de uma palavra-chave se tratasse, são: Antonio García Lopez, Cristóvão Valente Pereira, Ilídio Salteiro, João Jacinto, João Castro Silva, João Paulo Queiroz, Jorge dos Reis, Manuel Gantes, Omar Khouri, Rodrigo Baeta.

Ilídio Salteiro
Junho de 2016


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

1º Exposição DINHEIRO - ISEG 26nov2016 - inauguração

Antonio García Lopez, Cristóvão Valente Pereira, Ilídio Salteiro, João Jacinto, João Castro Silva, João Paulo Queiroz, Jorge dos Reis, Manuel Gantes, Omar Khouri, Rodrigo Baeta.